#NossoFutebol021 As picadas nos dedos e a qualidade de vida

As picadas nos dedos e a qualidade de vida

cutlerdiabetesx-large

O amargo inerente ao mau diagnóstico não é e nunca será algo desprezível. Não há que se falar em ignorar aquilo que vai te trazer um certo nível de dependência e, por que não dizer, um certo desespero. O exemplo que trago a seguir é daquele tipo que nos faz acreditar em uma volta por cima, nos trazendo a sensação de converter a dificuldade em força, para si e para os outros.

Jay Cutler é o atual quarterback do Chicago Bears, time que faz parte da National Football League, a querida e estimada NFL (pelo menos na visão deste blogueiro). Na temporada de 2007, defendendo as cores do Denver Broncos, o atleta vinha sofrendo com um cansaço contínuo e uma perda de peso sensível e absolutamente inexplicada. A necessidade de sempre apresentar resultados, potencializada pelo fato de estar em sua segunda temporada na NFL, fazia com que ele permanecesse sorridente perante a mídia, mas lutando contra seu próprio corpo. Acredito que todos nós já precisamos, pelo menos em alguma oportunidade, combater o cansaço físico e mental, mantendo uma aparente força em prol da continuidade de um emprego ou coisa parecida.

Foi quando buscou conhecer as causas da sua queda de rendimento que Jay Cutler descobriu o diabetes tipo 1, um tipo de enfermidade que, dentre outras características, ocorre quando a produção de insulina do pâncreas é insuficiente. O jogador poderia então escolher entre lamentar aquele diagnóstico e abandonar a carreira ou prosseguir no sonho de crescer na NFL. Conhecido o diagnóstico, o camisa 6 decidiu por lutar contra esta doença e apoiar a causa contra a diabetes tipo 1.

Com o patrocínio de uma grande farmacêutica americana, Cutler vem fazendo esforços para difundir os cuidados com este tipo de enfermidade, demonstrando que, com o acompanhamento e tratamento adequados, é possível ter uma vida com qualidade e resultados. A carreira do quarterback é a prova real disso. Após ser diagnosticado e ter seu rendimento reestabelecido, Cutler assinou um dos melhores contratos da NFL com o seu atual time. É comum vê-lo saindo de campo para ter seu dedo picado e as informações de glicose continuamente monitoradas para que seu rendimento não caia. Fora de campo, vem difundindo os cuidados com o diabetes e, somado a tantos outros entusiastas, ajuda a proporcionar qualidade de vida a quem não possui os privilégios de um atleta da NFL.

Confesso que foi a curiosidade que me fez conhecer mais deste atleta. Aquelas constantes picadas nos dedos durante os intervalos do jogo entre Green Bay Packers e os Bears de Cutler me impressionaram. Chamaram muito mais minha atenção que o próprio quarterback, que ainda teve seus dias de glória nos ursos de Chicago. Como poderia um time americano apostar em alguém que dependia de remédios e assinar o melhor contrato da sua vida após o diagnóstico da doença? Não sei… Sinceramente não sei… Mas tenho uma pista: se o atleta não acreditasse que poderia voltar a render, certamente não convenceria a ninguém que poderia ter bons resultados. Mas ele acreditou, fez a NFL acreditar, vem fazendo muitos outros pares de diabetes acreditarem. Não é que ele seja o dono de toda correção do mundo. Não o conheço, mas essa atitude do camisa 6 é, no mínimo, para ser refletida.

Mas por que um texto sobre futebol americano em um blog sobre o futebol bretão? Ah, meus caros, este é só um exemplo que algumas picadas nos dedos podem valer mais que bola, seja redonda ou oval.

Mais em: jaycutlersix.com/

1 comment on “#NossoFutebol021 As picadas nos dedos e a qualidade de vida”

  1. Site Responder

    Contacte o medico se sentir dor, formigueiro ou entorpecimento nos dedos que nao desaparecem. Se tiver dificuldade em agarrar objectos ou se sentir fraqueza na mao ou no braco tambem deve consultar o medico.

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *