#NossoFutebol029 A Black Friday alvinegra: um orçamento inteiro por 20% do preço

A Black Friday alvinegra: um orçamento inteiro por 20% do preço

coins-1015125_1920

No último sábado, o Ceará comprou algo muito valioso pagando bem menos. Foi sim. Você já parou para pensar quanto custaria para o alvinegro cair para Série C do Campeonato da CBF? Nem pare para pensar neste tipo de coisa. A verdade é que, por um investimento muito pequeno, o Ceará pagou a festa da Diretoria e a de muita gente, pode acreditar.

A Black Friday chegou um pouco atrasada para o alvinegro, pois foi apenas no sábado que o time de Porangabuçu fez a sua melhor barganha. Na conta, só um golzinho que definiu o orçamento do time, rádios e TV’S, lojas, etc.

Imagine quanto aquele tento contra o Macaé poupou da criatividade dos nossos formadores de opinião, pois, se o time fosse para terceira divisão, nossos cronistas teriam que gastar muita massa para fazer suas capas. Pense como seriam os meses rodando sobre o vácuo formado entre o término da Copa do Nordeste e o início da Série C.

Foi com a cobrança daquele pênalti que, mais uma vez, a Diretoria poderá se dar o luxo de errar em contratações malfeitas e ainda assim não deixar o time entrar no vermelho. Poderá, até mesmo, se dar o luxo de iniciar um ano como todos os outros: sem planejamento, deixando o acaso definir os rumos.

Só não esqueçamos de um pequeno detalhe: a oferta estava na prateleira, e foi o Ceará quem chegou primeiro para aproveitá-la. Houve competência. O Macaé não foi bobo, teve chances. Não foi amplamente dominado, mas, depois de um erro inocente nos moldes de quem não tem a envergadura de um clube centenário, precisará voltar para a Série C.

A incompetência de tantas rodadas exigiu um certo investimento por parte da Direção alvinegra. Afora as justas premiações, perderia muito mais o time com um orçamento de Série C. Patrocinadores indo embora, torcida desmotivada.

Aquele gol foi lindo, espetacular, de placa, monumental. Poupou o emprego de jogadores, comissão técnica, jornalistas, costureiros, balconistas. Saiu barato. Muito barato.

Tudo que sai com preço menor, demanda um chorinho, convenhamos. A torcida teve que chorar muito, mas conseguiu. A trilha de Lisca e seus comandados emocionou. Consegui ver muita sinceridade na relação entre o treinador e a torcida. Seus antecessores não conseguiram o que pareceu tão natural para ele, e este mérito tem origem no comando.

Camisa roxa? Tambor? Faça-me o favor. Foi trabalho, muito choro. No final, saiu barato.

Caro Presidente Robinson Passos de Castro e Silva, se ninguém agradeceu a V. Sa., eu o farei. Time sem força e sem graça aquele que o senhor assumiu e, mesmo assim, os formadores de opinião não se aproximam com uma palavra de agradecimento. Não me incluo no time dos formadores de opinião, mas quero te agradecer por ter que nos fazer pensar menos e bravatear mais.

Como diria um amigo meu, bem alvinegro, vibremos muito, muito mesmo. Só não deixe a vibração durar mais que meia hora.

1 comment on “#NossoFutebol029 A Black Friday alvinegra: um orçamento inteiro por 20% do preço”

  1. Ney Medeiros Responder

    O barato do dia acabou com o barato da torcida adversária que perduraria por muitos meses ou até por anos. Quem sabe? O investimento antecipado que não veio, quase custou caro para o glorioso alvinegro de Porangabussu e para a sua massa apaixonada. Enfim, Black Friday, pechincha, mala… o nome é o que menos importa, e um golzinho minguado de penalti vale mais que uma goleada de oba obas.

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *